Cultura Nordestina


FESTIVAL DE VIOLEIROS DE PAULISTA PB

Paulista é um município brasileiro do estado da Paraíba. Localiza-se a uma latitude 06º35'38" sul e a uma longitude 37º37'27" oeste, estando a uma altitude de 160 metros. Sua população estimada em 2006 era de 11.460 habitantes. Possui uma área de 577 km².


Segundo informações do grande poeta (in memória), Belarmino Fernandes de França, o nome da cidade de paulista tem sua origem, no fato do rico proprietário. O Capitão – mor, José Félix Machado ser o doador do terreno para seu patrimônio. Porém, passando por aqui, um Bandeirante de São Paulo, um grande membro das Entradas e Bandeiras, Domingos Jorge Velho, que determinou a Paulista, nome que chamamos desde a fundação até os dias contemporâneos.

 

Fazendo parte da Semana em comemoração aos 49 anos de Emancipação Política de Paulista. Dia 30 de dezembro tivemos um belo festival de repentistas.

 

 

        

Severino Feitosa e Rogério Meneses        Edmilson Ferreira e Antonio Lisboa      Raimundo Caetano e Ivanildo Vila Nova

 

       

Sebastião Dias e João Paraibano              Hipólito Moura e João Lourenço           Locutor Djalma  Mota de Caico RN

 

    

Poeta Geraldo Alves, secretario de          

 Cultura de Paulista PB

 

 



Escrito por Rivaldo Meneses às 21h40
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




27 DE SETEMBRO

DIA DE SÃO COSME E SÃO DAMIÃO

 

Cosme e Damião foram martirizados na Síria, porém é desconhecida a forma como morreram. Seu culto já estava estabilizado no Mediterrâneo no século V. Perseguidos por Diocleciano, foram trucidados e muitos fiéis transportaram seus corpos para Roma, onde foram sepultados no maior templo dedicado a eles, feito pelo Papa Félix IV (526-30), na Basílica no Fórum de Roma com as iniciais SS - Cosme e Damião.

Alguns relatos atestam que eram originários da Arábia, mas de pais cristãos. Seus nomes verdadeiros eram Acta e Passio. Surgiram várias versões, mas nenhuma comprovada com fundamento histórico. Em uma das fontes, explica-se que eram dois irmãos, bons e caridosos que realizavam milagres. Alguns relatos afirmam que foram amarrados e jogados em um despenhadeiro sob a acusação de feitiçaria e inimigos dos deuses romanos. Em outra versão, na primeira tentativa de morte, foram afogados, mas salvos por anjos. Na segunda, foram queimados, mas o fogo não lhes causou dano algum. Apedrejados na terceira vez, as pedras voltaram para trás, sem atingi-los. Por fim, morreram degolados.

Depois de mortos, apareceram materializados ajudando crianças que sofriam violências. Ao gêmeo Acta é atribuído o milagre da levitação e ao gêmeo Passio a tranqüilidade da aceitação do seu martírio. A partir do século V os milagres de cura atribuídos aos gêmeos fizeram com que passassem a ser considerados médicos, pois, quando em vida, exerciam a medicina na Síria, em Egéia e Ásia Menor, sem receber qualquer pagamento. Por isso, eram chamados de anargiros, ou seja, inimigos do dinheiro. Mais tarde, foram escolhidos patronos dos cirurgiões.

Sempre confiantes em Deus, oravam e obtinham curas fantásticas. Também foram chamados de "santos pobres". Muitos esforços foram feitos para demonstrar que Cosme e Damião não existiram de fato, que eram apenas a versão cristã dos filhos gêmeos pagãos de Zeus. Isto não é verdade, embora haja evidências de que a superstição popular muitas vezes fez supor haver em seu culto uma adaptação do costume pagão.

No Brasil, em 1530, a igreja de Iguaraçu, em Pernambuco, consagrou Cosme e Damião como padroeiros. No dia 27 de setembro, quando é realizada a festa aos santos gêmeos, as igrejas e os templos das religiões afro-brasileiras são enfeitados com bandeirolas e alegres desenhos.

No candomblé, são associados aos "ibejis", gêmeos amigos das crianças que teriam a capacidade de agilizar qualquer pedido que lhes fosse feito em troca de doces e guloseimas. O nome Cosme significa " o enfeitado" e Damião, "o popular".

Padroados: Farmacêuticos; Faculdades de Medicina; Barbeiros e Cabeleireiros.

Protege: Orfanatos; Creches; Doceiras; Filhos em casa; Contra hérnia e Contra a peste.

Emblema: caixa com ungüentos, frasco de remédios, folha de palmeira.

Pesquisa: Terra Esotérico

Oração a São Cosme e São Damião

Amados São Cosme e São Damião,
Em nome do Todo-Poderoso
Eu busco em vós a bênção e o amor.

Com a capacidade de renovar e regenerar,
Com o poder de aniquilar qualquer efeito negativo
De causas decorrentes
Do passado e presente,
Imploro pela perfeita reparação
Do meu corpo e
Dos meus filhos
(...............................................)
nome dos filhos
E de minha família.

Agora e sempre,
Desejando que a luz dos santos gêmeos
Esteja em meu coração!
Vitalize meu lar,
A cada dia,
Trazendo-me paz, saúde e tranqüilidade.

Amados São Cosme e Damião,
Eu prometo que,
Alcançando a graça,
Não os esquecerei jamais!
Assim seja,
Salve São Cosme e Damião,
Amém!

 




Escrito por Rivaldo Meneses às 22h23
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




É sempre bom, ler um bom livro!

 

    Gotas de Sabedoria,  mensagens de otimismo e reflexão é mais um livro do poeta TATIANO MIGUEL. Tatiano que além de poeta é  um verdadeiro show-man: canta, dança, interpreta vários personagens, faz humor e toca alguns instrumentos, está sempre  na labuta como um menestrel  da vida, levando esperança e carinho a todos aqueles que admiram seu trabalho.

Incansável na tarefa de comunicar, seja por intermédio do corpo ou da palavra, Tatiano chega aos mais distintos rincões  e às mais longínquas  emoções com especial propriedade.

    Gotas de sabedoria é mais um retrato  de Tatiano  Miguel  em prosa e verso. Em essência, um livro que procura levar às pessoas  a força do pensar  positivamente, da importância  da fé, do amor e da sabedoria que proporciona  o viver de bem com a vida.

      É uma obra tocante que emociona, convence e proporciona  mudanças importantes  e nossas vidas

 

 

 

                   

 Pedidos:  67 9237- 7795. 67 3386-0607 ou e-mail: tatianomiguel@hotmail.com

   

 



Escrito por Rivaldo Meneses às 20h24
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




CORDEL DA PAZ

Convido a sociedade
Para a marcha mundial
Onde a paz do ser humano
É o tema principal
Pelo senso de urgência
Ações de não violência
Seja o nossa ideal

Invoco Mahtma Gandhi
Luther King e outros mais
Na luta por liberdade
E direitos sociais
Presentes pela memória
Unindo nossa história
No mesmo sonho de paz

 

A nossa luta de paz
Pra toda humanidade
É feita pelo diálogo
Com interatividade
Cada qual com sua arte
Vem fazer a sua parte
Com mais criatividade.

Para se chegar na paz
É preciso um novo olhar
Entender que cada ser
Navega no mesmo mar
Que cada um é irmão
Na mesma embarcação
Aprendendo a navegar

Resgatar valores simples
A família a amizade
Afeto pelos humildes
O respeito a lealdade
Uma cultura de paz
A gente mesmo é quem faz
Na solidariedade

Unir as próprias idéias
Encontrando soluções
Solucionar conflitos
Propondo transformações
Sermos todos plantadores
Aprendendo a plantar flores
Nos jardins dos corações

Que a nossa convivência
Tenha paz e alegria
Que nos sintamos felizes
Sob o sol de cada dia
Na nossa diversidade
Encontremos unidade
Na mais perfeita harmonia

A luz da educação
Vencendo a ignorância
Construindo a consciência
Combatendo a arrogância
Afastando o preconceito
Na luta pelo direito
Agindo com tolerância

O valor de cada homem
Não reside em sua cor
Está na sua ação
O seu principal valor
Se na sua inteligência
Usa a sua consciência
Pra da Paz ser construtor

A caminhada da paz
É feita pela ação
De quem despertou do sono
Da sua acomodação
Colocando na bagagem
Amor, respeito e coragem
Com mais participação

Somos todos passageiros
Da nave da existência
Sujeitos a tempestades
Da nossa inconsciência
Façamos do humanismo
O principal mecanismo
Contra toda violência

Devemos fazer aos outros
O que queremos ser feito
Para construir um mundo
Liberto do preconceito
A solidariedade
Num sonho de liberdade
Onde a lei é o respeito

A nossa Satyagraha
É a organização
A consciência de luta
E a participação
De quem acordou mais cedo
Enfrentando o próprio medo
Por um mundo cidadão

Se desejamos a paz
Teremos que construir
Escolas que nos ensinem
A pensar e a sentir
Que a nossa felicidade
Vem na mesma quantidade
Que a gente evoluir

Um passo de cada vez
Um pouco mais cada dia
Vencendo cada obstáculo
A paz aqui se anuncia
Trocando ações arbitrárias
Por ações humanitárias
Na força da harmonia

Assim serão extinguidos
Oprimidos e opressores
Os homens humanizados
Viverão novos valores
Unidos e irmanados
Vivendo em novos reinados
Onde só há vencedores

Nossa pátria deve ser
Uma só pátria global
Com mais oportunidades
E um tratamento igual
Nenhum homem se rebele
Nem se julgue a cor da pele
Num tribunal racial

Cada ser humano tenha
A sua autonomia
Que ninguém seja oprimido
Pela nossa economia
A nossa emancipação
Seja a sinalização
Do tempo se inicia

Que a paz esteja presente
No mundo em cada nação
E comece em cada um
Fazendo a transformação
Ter a paz no sentimento
É não fazer julgamento
Pois o julgado é irmão

Ter paz também nas palavras
Numa ordem positiva
Ordenar os pensamentos
Ter mais iniciativa
A paz para ser presente
È germinando a semente
De uma mente criativa

Assim cada ser humano
Sabendo se equilibrar
Respeitando ao seu próximo
Ensina a si respeitar
Na lei da causa e efeito
Quem planta o que é direito
Colhe o mesmo que plantar

Desta plantação da paz
Sejamos bons plantadores
Cultivemos cada ação
Feita com nossos valores
O pensamento humanista
Numa nação pacifista
Produzindo mais amores...

Romero Meneses
Cordelista da cidade de Triunfo / PE
Colaborador da Marcha Mundial pela Paz e não Violência



Escrito por Rivaldo Meneses às 00h19
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




                      ROGERIO MENEZES,  PRESIDENTE

          Veja o que diz alguns jornais de pernambuco hoje!

De repente // O repentista e primeiro vereador do PT em Caruaru, Rogério Menezes, foi eleito ontem presidente da Câmara Municipal. Ele teve 13 votos a favor contra um branco e um nulo. A definição da chapa foi fruto do consenso coordenado pelo prefeito José Queiroz (PDT). Diario de Pernambuco

RADICALISMO - O clima de radicalismo e confronto da campanha em Caruaru ainda não foi superado. Na posse de José Queiroz, ontem, o ex-prefeito Tony Gel levou uma estrondosa vaia, que partiu, segundo seus aliados, de claques organizadas pelos adversários do democrata. Na condição de vereador mais votado, Gel presidiu a sessão que elegeu a nova mesa diretora da Câmara. O novo presidente é, surpreendentemente, o petista Rogério Menezes, poeta dos bons, das bandas do Pajeú. Folha de Pernambuco, digital

 

A posse do novo prefeito de Caruaru, José Queiroz (PDT), ocorrida na tarde de ontem, no plenário da Câmara Municipal, foi marcada por duas etapas distintas. Na primeira, quando da escolha dos integrantes da nova Mesa Diretora para o biênio 2009/2010, não faltaram vaias e provocações do público contra o ex-prefeito Tony Gel (DEM) - que, na condição de vereador mais votado, presidiu os trabalhos. Em seguida, com a saída do democrata e já sob o comando do novo presidente, o vereador Rogério Menezes (PT), após a chegada do novo prefeito e do vice, Jorge Gomes (PSB), não faltaram aplausos e festa da militância. Até mesmo para evitar maiores constrangimentos, Tony Gel deixou a Câmara pelas portas do fundo, minutos antes da chegada do novo prefeito
Fo
nte: Folha de Pernambuco

O presidente eleito Rogério Menezes

 



Escrito por Rivaldo Meneses às 10h51
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




DANDO UM GIRO NO INTERIOR

Nas festas de ano-novo tem certas coisas que não faltam: gente vestida de branco, fogos, contagem regressiva


Arte: Jarbas / DP

para a virada do ano e, claro, as comidas! Mas, que comidas? Peru, nozes, amêndoas e champanhe? Será que as pessoas que moram no interior do estado, naqueles locais bem distantes do centro, comem no réveillon os mesmos alimentos que o pessoal da capital?

Buscando tirar essa pulga atrás da orelha, e descobrir um pouco sobre o que os nossos vizinhos andam comendo, o Diarinho conversou com alguns pesquisadores da área para tentar descobrir as principais diferenças existentes na mesa de quem é do interior do estado e de quem é da capital nessa reta final do ano. E não é que a gente achou um monte de coisas interessantes!

Para começar, segundo a pesquisadora da Fundação Gilberto Freyre, Fátima Quintas, na cidade muita gente já compra a comida pronta. "Vai na padaria e compra tudo já feito ou encomenda para outra pessoa fazer", diz. Já quem mora na zona rural, os pratos são preparados pela própria família, ao invés de se comprar tudo prontinho no supermercado.

As passas, nozes e amêndoas que fazem parte da nossa mesa no fim de ano (e são importadas!) nem sempre estão na mesa de quem mora no interior. Muitas vezes isso acontece pelo alto preço desses produtos ou por conta da dificuldade de acesso a eles, que não são vendidos em todos os lugares.

O folclorista e presidente da Comissão Pernambucana de Folclore, Roberto Benjamin, conta que muitas vezes esses elementos importados, como passas e nozes, são substituídos por outros que fazem parte do dia-a-dia das pessoas e que são fáceis de achar, a exemplo do amendoim e castanha de caju. Nessa época de fim de ano, no interior, você encontra uns cones (feitos de papelão ou papel) com amendoim e castanha dentro, e eles fazem a alegria da garotada.

Fora essa substituição, é possível que, no interior, você não encontre peru e bacalhau na mesa. Nos locais mais distantes do centro, pela zonarural, na ceia vai ter bode assado, galinha ou porco. "A mesa da zona rural é bastante farta naquilo que se obtém com mais facilidade. Em geral, no interior se come muito bode cozido. Então, no fim de ano, fazem diferente, preparam o bode assado", explica Fátima Quintas.

Outro detalhe interessante é que muitas vezes esses animais são abatidos em casa. Isto é, as pessoas criam o animal em casa e depois o matam quando está perto da festividade. Sabia que há uns 30, 40 anos no Recife também era assim?

Com relação à bebida, os adultos aqui na cidade costumam beber champanhes. Já no interior, a cachaça e a batida (mistura de água ardente com suco de frutas) tomam o lugar daquela bebida francesa.

Doce - Talvez você não tenha escutado falar no alfenim (um doce árabe que chegou por aqui através dos portugueses), mas ele é um doce presente nessa época no interior do estado. Ele lembra um suspiro, é feito à base de claras de ovo, açúcar e farinha de trigo, e chega a derreter na boca.

Um outro doce que era bastante popular no interior também é o chouriço, feito com sangue de porco. Mas esse está um pouco desaparecido por conta da dificuldade de se encontrar o sangue desse animal.

Curiosidades

l Às vezes quando uma pessoa está bastante ansiosa com alguma coisa, algumas pessoas dizem "você não é peru para morrer de véspera", querendo dizer que a pessoa não deve ficar ansiosa ou nervosa com algo que ainda não aconteceu. Essa história do "peru" tem origem nesse período do ano, quando muitas pessoas matavam o peru em casa, na véspera da festividade.

l Antigamente, dizia-se quando uma pessoa era doce ou frágil que era ela era um "alfenim"

l No ano-novo, muita gente come romã. Essa é uma fruta da região mediterrânea e pelo grande número de grãos que têm é considerada fonte de riqueza. As pessoas comem a romã na festa da virada e costumam guardar algumas sementes na carteira, a fim de que no próximo ano consigam riqueza.

l A festa de ano-novo tem origem francesa, no século 19. Não tem nada a ver com religião, é apenas uma festa para marcar a virada do ano. A côrte francesa aproveitava essa festa para fazer um banquete com comidas diferentes das do dia-a-dia, trazendo as especiarias para a ceia.

l Antigamente, só as pessoas muito ricas bebiam champanhe. No fim de ano, as pessoas tomam essa bebida acreditando que trará sorte e riqueza, já que é uma bebida que só os ricos bebiam.

Fonte:Diario de Pernambuco

 

 



Escrito por Rivaldo Meneses às 20h30
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




recados para orkut

 

                                                              O NATAL


O Natal significa, única e exclusivamente, a presença de JESUS - O INCOMPARÁVEL - entre nós.
Ele, Espírito Puro, Governandor Espiritual da Terra, único Guia e Modelo da Humanidade, veio ensinar-nos o Amor, e o natal representa a sua vinda.

Será que todos recordam-se disso no Natal?

A partir da segunda metade do século 19 a celebração de Natal foi incorporada ao calendário comercial dos Estados Unidos e da Europa, estimulando cada vez mais a troca de presentes entre as pessoas. Para garantir o sucesso comercial do empreendimento, a sociedade mercantil da época adotou como garoto propaganda a figura sorridente e bonachona do Papai Noel com um saco cheio de presentes nas costas guiando um trenó puxado por renas, com a missão de distribuir presentes a crianças de todas as idades na noite de Natal.
Para tanto, o cartunista Thomas Nast, baseado nos versos do poeta Clement C. Moore que descrevem Papai Noel como um senhor de barba branca, vestido de peles vermelhas, cinto e botas pretas guiando um trenó puxado por renas, desenhou a imagem do bom velhinho aumentando sua pança e colorindo as bochechas de vermelho. Mais tarde, em 1930, a Coca-Cola adotou Papai Noel como relações públicas da marca. Para tornar sua figura mais simpática ainda, o artista plástico Habdon Sundlon deu um tratamento mais dócil em suas feições e, na roupa vermelha, arrematou as bordas com plumas brancas, associando a vestimenta às cores da empresa de refrigerantes.
A inspiração do bom velhinho veio da figura de um bispo da cidade de Mira, nascido em 270 no antigo Reino da Lícia, atual Turquia, de nome Nicolau, que saia na noite de Natal oferecendo bolinhos de mel às crianças. O Sacerdote, por seu gesto generoso, foi perseguido e preso pelo imperador Diocleciano e só ganhou a liberdade no ano 325 com a chegada de Constantino ao trono de Bizâncio. Livre, ele deu seu testemunho no Concílio de Nicéia sensibilizando os sacerdotes pela injustiça e os maus tratos que sofreu na prisão. Após a morte do bispo, ele foi canonizado pela igreja católica como São Nicolau e elevado a padroeiro da Rússia, da Grécia e de outros países europeus.
No ano de 1089, marinheiros italianos violaram o túmulo de São Nicolau, em Mira, e levaram os restos mortais do santo para Bari, na Itália. A cidade italiana logo se tornou um centro de devoção e peregrinação, onde o santo nunca rezou uma missa ou mesmo colocou os pés. Mas, lá também é considerada a casa do Papai Noel, ou melhor do São Nicolau de Bari.
Mais tarde, com a Reforma Protestante, o culto a São Nicolau foi esvaziando-se aos poucos e por fim permaneceu apenas na Holanda, onde era chamado de Sinterklaas. A história do santo fundiu-se a antigas lendas nórdicas sobre um mago que andava em um trenó puxado por renas, premiando com presentes crianças boas e castigando as que se comportavam mal. No século 17, emigrantes holandeses levaram a tradição de Sinterklaas para os Estados Unidos, simplificando seu nome para Santa Claus. A tradição não demorou a cruzar o Atlântico. No Reino Unido passou a chamar Father Christmas. Na França: Père Noel. Na Espanha: Papá Noel, que se estendeu rapidamente à América Latina.
Assim nasceu Papai Noel, tão cheio de carisma e magia que encanta as crianças de todo o mundo. E reina absoluto no dia 25 de dezembro, o dia de Natal para os cristãos, mas que envolve anualmente bilhões de dólares em compras de presentes no comércio mundial.


E JESUS, o aniversariante?

Numa noite, que se perde na poeira do tempo, uma Estrela de primeira grandeza brilhou no firmamento...

Possuidor de um conhecimento jamais igualado até os dias atuais, esse Sábio dos sábios ficou conhecido por todos os povos como Jesus Cristo.

Ninguém, até hoje, sabe o que Ele sabia nem faz o que Ele fazia.

Enquanto os astrônomos sondam os espaços procurando provas da existência de vida em outros planetas, Ele, profundo conhecedor do universo, há dois mil anos afirmou: "na casa de meu pai há muitas moradas."

Enquanto os meteorologistas procuram as causas dos fenômenos climáticos, Ele, como quem conhecia as leis que regem a natureza ordenou à tempestade que se aquietasse, e assim se fez.

Enquanto os modernos fisiologistas sondam as moléculas do corpo humano para conhecer-lhes as peculiaridades, Ele, utilizando-se da vontade, reconstituiu tecidos carcomidos pela lepra, dizendo simplesmente: "Quero. Sê limpo."

Excelente Físico, desafiou a lei da gravidade, andando sobre as águas. Proeza que até agora nenhum cientista ousou imitar.

Geneticista hábil, esclareceu que o que nasce da carne é carne, e o que nasce do espírito é espírito. Falou com sabedoria dessa dualidade humana, esclarecendo que o espírito sopra onde quer, e ninguém sabe donde ele vem, nem para onde vai.

Psicopedagogo jamais igualado, usou os mais excelentes métodos de educação, ensinando com maestria incomparável.

Psicoterapeuta incomum, atendia com eficiência a intimidade das criaturas, balsamizando com ternura os corações dilacerados pela dor.

Falava em Sua língua pátria e todos, vindos das mais variadas procedências, O entendiam. Mais importante: falava ao ar livre para centenas de expectadores e todos O ouviam, sem utilizar-se dos aparelhos de amplificação da voz, hoje conhecidos.

Poeta Divino, fez vibrar as cordas mais sutis da harpa viva do coração humano, cantando as bem-aventuranças eternas.

Médico incomum, restituiu a visão a cegos, curou paralíticos do corpo e da alma, restabeleceu a esperança aos desalentados.

Magnetizador excelente, com um simples gesto reanimou pessoas dadas como mortas.

Orador incomparável, impressionou os doutores da lei com Suas palavras lúcidas e coerentes, despertando temor e admiração ao mesmo tempo.

Anunciado pelos antigos profetas, Ele foi o Messias que veio trazer luz às trevas da ignorância, e alento aos sofredores sinceros.

Hoje, como ontem, continua ressuscitando corações tomados pela morte da indiferença e do amolentamento, enviando Seus prepostos aos círculos de dor e incompreensão.

Jesus é e continuará sendo o maior de todos os sábios...

Incansável, Ele continua repetindo o sublime convite: "quem quiser vir após mim, tome a sua cruz, negue-se a si mesmo, e siga-me".

***

Jesus é o modelo da perfeição moral a que o homem pode aspirar na Terra.

Criado muito antes que a humanidade terrestre, veio ensinar o caminho que conduz à felicidade, por já tê-lo trilhado.

Nesse sentido é que o Apóstolo João anotou, no capítulo 8, versículo 58 as seguintes palavras do Mestre: "antes que Abraão existisse, eu sou.

Que todos tenham um Feliz Natal, em clima de oração e prece, repleto de Paz, Luz, e sintonia com Ele - O aniversariante - JESUS.


O Espiritismo
www.oespiritismo.com.br

 



Escrito por Rivaldo Meneses às 10h00
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

                          NATAL DO CORAÇÃO

Abençoadas sejam as mãos que, em memória de Jesus, espalham no Natal a prata e o ouro, diminuindo a miséria e a necessidade, a fome e a nudez!...

Entretanto, se não forem iluminadas pelo amor que ajuda sempre, esses flagelos voltarão amanhã, como a erva daninha que espreita a ausência do lavrador.

Não retenhas, assim, a riqueza do coração que poder dar, tanto quanto o maior potentado da Terra!

Deixa que a manjedoura de tua alma se abra, feliz, ao Soberano Celeste, para que a luz te banhe a vida.

Com Ele, estenderás o coração onde estiveres, seja para trocar um pensamento compassivo com a palavra escura e áspera ou para adubar uma semente de esperança, onde a aflição mantém o deserto! Com Ele, inflamarão de júbilo os olhos de algum menino triste e desamparado e uma simples criança, arrebatada hoje ao vendaval, pode amanhã ser o consolo da multidão... Com Ele, podes oferecer a bênção da tolerância aos que trabalham contigo, transformando o altar de teu coração em altar de Deus!...

Que tesouro terrestre pagará o gesto de compreensão no caminho empedrado, o sorriso luminoso da bondade no espinheiro da sombra e a oração do carinho e do entendimento no instante da morte?

Natal no espírito é a comunhão com Ele próprio.

Ainda que te encontres em plena solidão na manjedoura do infortúnio, sai de ti mesmo e reparte com alguém o dom inefável de tua fé.

Lembra-te de que Ele, em brilhando na manjedoura, tinha consigo apenas o amor a desfazer-se em humildade, e, em agonizando na cruz, possuía apenas o coração, a desfazer-se em renúncia...

Mas, usando tão somente o coração e o amor, sem uma pedra onde repousar a cabeça, converteu-se no Salvador do Mundo, e, embora coroado de espinhos, fez-se o Rei das Nações para sempre.

Meimei (espírito)
LIVRO ANTOLOGIA MEDIÚNICA DO NATAL - Psicografia: Francisco Cândido Xavier - Espíritos Diversos
O Espiritismo
www.oespiritismo.com.br

 



Escrito por Rivaldo Meneses às 22h16
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




SAUDADES

Eu já tive, em belos tempos
Alguns sonhos de criança;
Já pendurei nas estrelas
A minha verde esperança;
Já recolhi pelo mundo
Muita suave lembrança.

Sonhava, então.. E que sonhos
Minha mente acalentaram!
Que visões tão feiticeiras
Minhas noites embalaram!
Como eram puros os raios
Dos meus dias que passaram!...

Tinha um anjo de olhos negros,
Um anjo puro e inocente,
Um anjo que me matava
Só co'um olhar, de repente,
Olhar que batia n'alma,
Raio de luz transparente.

Quando ela ria, e que riso!
Quando chorava, que pranto!
Quando rezava, que prece!
E nessa prece, que encanto!
Quando soltava os cabelos,
Como esparzia quebranto!

Por entre o chorão das campas
Minhas visões se ocultaram;
Meus pobres versos perdidos,
Todos, todos acabaram...
De tantas rosas brilhantes,
Só folhas secas ficaram!




Escrito por Rivaldo Meneses às 23h00
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




A avó

A avó, que tem oitenta anos,

Está tão fraca e velhinha!

Teve tantos desenganos

Ficou branquinha, branquinha,

Com os desgostos humanos.

 

Hoje, na sua cadeira,

Repousa, pálida e fria,

Depois de tanta canseira:

E cochila todo o dia,

E cochila a noite inteira.

 

Às vezes, porém, o bando

Dos netos invade a sala . . .

Entram rindo e papagueando:

Este briga, aquele fala,

Aquele dança, pulando . . .

 

A velha acorda sorrindo,

E a alegria a transfigura;

Seu rosto fica mais lindo,

Vendo tanta travessura,

E tanto barulho ouvindo.

 

Chama os netos adorados,

Beija-os, e, tremulamente,

Passa os dedos engelhados,

Lentamente, lentamente,

Por seus cabelos, doirados.

 

Fica mais moça, e palpita,

E recupera a memória,

Quando um dos netinhos grita:

"Ó vovó! conte uma história!

Conte uma história  bonita!"

 

Então, com frases pausadas,

Conta historias de quimeras,

Em que há palácios de fadas,

E feiticeiras, e feras,

E princesas encantadas . .

E os netinhos estremecem,

Os contos acompanhando,

E as travessuras esquecem,

— Até que, a fronte inclinando

Sobre o seu colo, adormecem . . .

 

    Olavo Bilac



Escrito por Rivaldo Meneses às 21h28
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




                                Profissão: Cantador

 

  A literatura de cordel registra a existência do repentista desde o período colonial do Brasil. Eles se espalharam principalmente pelos sertões de Paraíba e Pernambuco. Naquele tempo os maiores trovadores eram cegos que usavam a arte para pedir esmolas nas feiras populares.

   A viola nem sempre foi o instrumento característico do repente. No inicio eles cantavam sem acompanhamento; depois passaram a usar o pandeiro e mais tarde a rabeca (instrumento parecido com o violino) e o cavaquinho que foi substituído pela viola de seis ou dez cordas. As estrofes, que eram cantadas em trovas (quatro versos) também sofreram modificações, aumentando para cinco versos e depois para seis. Hoje há estrofes de seis a dez versos e vários tipos de metrificação e ritmos que garantem mais de 40 modalidades de repente. A profunda fé dos nordestinos e o sentimento de caridade que os cantadores cegos queriam despertar faziam das historias bíblicas o tema mais comum. Hoje são questões sociais e políticas que atraem mais a atenção dos repentistas.

http://www.festinrepente.com.br/oktiva.net/1581/secao/6871                   

 

 O repentista é o trovador do Nordeste, que viaja contando causos e mostrando seu ponto de vista sobre os acontecimentos da região e do mundo geralmente de forma pitoresca divertida ou critica. Nada escapa ao repentista.

 

Fui fazer uma poupança/ pra comprar uma casinha/Juntei a minha graninha com fé amor e esperança /Temendo embargo ou mudança /Votei na situação/ O homem meteu a mão / Meu troco foi confiscado/ Isso é que é mourão voltado/ Isso é que é voltar mourão.

Dizem os versos feitos a época do governo Collor (as duas ultimas frases são um refrão obrigatório nesta modalidade chamada mourão voltado).

 

A seca e a miséria são temas freqüentes.

 

Se passou de janeiro a fevereiro

Mês de março, de abril e mês de maio

Não se vendo um relâmpago nem um raio

Lá em casa foi um grande desespero

Mãe com raiva agarrou um candeeiro

Que tanto lhe iluminou outrora

E com ira atirou ele pra fora

Sem no bojo ter gás e nem pavio

O carão que cantava em meu baixio

Teve medo da seca e foi embora.

 

Diz uma estrofe de Manoel Xudu

 

Mais também não falta inspiração para cantar o amor e os sentimentos.

 

Saudade é um parafuso

Que dentro da rosca cai

Só entra se for torcendo

Porque batendo não vai

Depois que enferruja dentro

Nem destorcendo não sai.

 

Compara com ingênua beleza, o cantador Antonio Pereira.

Pois é amigos, é muito bom ouvir uma boa dupla de repentistas.

Esta sim é parte da verdadeira cultura nordestina.

 

 

 

 

 

 



Escrito por Rivaldo às 22h35
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Padre Djacy pede a Lula agilidade na transposição das águas do São Francisco

O Padre Djacy Brasileiro encaminhou nesta terça-feira (11) carta pedindo ao presidente Luis Inácio Lula da Silva que se empenhe para que seja feita a transposição das águas do Rio São Francisco.

No documento, o pároco clama a atenção do presidente para o problema da sede que atinge cerca de 12 milhões de pessoas que residem na região setentrional do Nordeste e que, segundo ele, estão ameaçadas de morte, ainda mais, se levados em consideração as consequências causadas pelo fenômeno do aquecimento global.

A seguir a carta na íntegra:


OS NORDESTINOS CLAMAM: QUEREMOS ÁGUA!


Senhor Presidente Luís Inácio Lula da Silva,
saudações!

É inconcebível, inadmissível e irracional não concretizar - por motivo de força ou pressão político-ideológica de quem quer que o seja - o sonho secular de doze milhões de nordestinos, que sofrem com as conseqüências nefastas da seca: a transposição de águas do rio São Francisco. Pois, Senhor Presidente, como é notório, esse mega projeto-repudiado, ridicularizado, criticado e objeto de desavenças tornar-se-á, indubitavelmente, para esse contingente populacional em estado de desespero, uma alternativa de caráter definitivo, necessário e eficaz para atenuar o drama da falta de água que assola impiedosamente toda essa gente, que reside na região setentrional do nordeste. E essa situação tornar-se-á ainda mais grave, segundo especialistas, com o fenômeno do aquecimento global.

A sede mata, logo quem tem sede não pode esperar. É questão de vida ou morte. De que lado, então, o Presidente da República está? Se for da vida, vale apenas e tem sentido enfrentar com ousadia política os ventos contrários. Tudo pela vida!E ainda, se os contra dizem que um dia o “velho Chico” morrerá por causa da transposição -mera suposição - saiba que, vidas humanas já estão sendo ceifadas, pela sede e fome. Diante dessa dramática realidade que assola milhões de nordestinos, espero que diga para o Brasil, que seu governo vai enfim, libertar esses seres humanos dessa aflição, executando a todo custo, este projeto de transposição de água do rio São Francisco para os quatro estados da região nordeste: Pernambuco, Paraíba, R do norte e Ceará. E tem que ser agora. Ou agora, ou nunca mais. Queremos pressa na execução da obra.

Vossa excelência, com raízes sertanejas, que sabe o que é seca com seus efeitos dramáticos, e dela fora vítima, a ponto de migrar-se para o sul, em busca de vida melhor, deve levar em estrita consideração e seriedade de nordestino, os anseios desse povo, no que tange à transposição. Para isso, é imprescindível, que o governo federal, através do Ministério da Integração Nacional, aja com pulso, determinação e grande vontade política na consecução dessa obra, tida como redenção para esses milhares de irmãos sedentos e caminho viável para o desenvolvimento da região no âmbito sócio-econômico. Por conta disso, excelência, não tema desagradar a muitos, ser alvo de desafetos, de criticas infundadas ou dissabores políticos, mas, sim, medo e constrangimento de não socorrer os que clamam pungentemente por água, pão, justiça, dignidade e qualidade de vida: “O vós, que passais pelo o caminho, vede e julgai se existe dor igual, a dor que me atormenta” (livro das lamentações). É o grito profético, Presidente, ecoando estrondosamente, na boca desses filhos sofridos de Deus, que moram nestas terras do chique-chique e mandacaru.

O senhor está no caminho certo, quando com espírito resoluto, determinado, empreende com justos propósitos governamentais, essa obra de tamanha envergadura, visando exclusivamente, uma política de combate aos efeitos da seca e o desenvolvimento sustentável da região, contrariando os que pensam diferentes e tentam a todo custo inviabilizar esse projeto. E acredito piamente, que tal propósito levado adiante pelo seu governo, não visa atender a interesses empresariais ou a grandes latifundiários, como muitos alegam, no que tange a um projeto econômico ligado ao agronegócio. Se assim o for, estará traindo suas origens e agredindo ética e moralmente os que gritam por vida e dignidade, colocando seu governo a serviço dos abastados, o que caracterizaria um ato de irresponsabilidade e falta de compromisso com essa região por muito tempo esquecida e desprezada pelos governantes; massacrada pela seca, e marcada pelo o atraso sócio-econômico e injustiças sociais.

E por fim, entre os radicalmente contra, que tentam a todo custo inviabilizar, ou impedir a execução dessa obra, por meios de argumentos técnicos, ações judiciais e até mesmo através de protestos e esse contingente populacional, que já beira à morte e não vê outra saída, a não ser esse projeto de interligação de bacias com transposição de águas do rio São Francisco, vossa excelência deve desconsiderar aqueles e optar de forma segura e peremptória por estes, por se tratar de princípios humanísticos, sem prescindir de uma consistente e perene política de revitalização dos afluentes do “velho Chico”, já que se faz necessário e urgente, para que assim, possa continuar jorrando água para satisfazer as necessidades básicas e desenvolvimento do povo e da região. Afinal, transposição é sinônimo de vida, e ser a favor desse projeto é optar por vidas que clamam por um copo dágua. Ser contra, é indubitavelmente, fechar os olhos e endurecer o coração para os filhos de Deus, que desesperados clamam: Presidente Lula, queremos água. Faça a transposição e assim viveremos com dignidade.

Em nome de Jesus Cristo, que convivendo com o povo sofrido, esmagado, pisoteado, injustiçado e agredido da famigerada Galiléia (hoje, o nordeste setentrional do Brasil) dissera: “eu vim para que todos tenham vida, e a tenham em abundancia”, eu o abençôo e rezo a este mesmo Senhor defensor irredutível dos pobres, para que o proteja e o faça forte, perseverante e destemido na execução – repito - desse projeto, que só pode ser abençoado por Deus, já que visa socorrer seus filhos sofridos neste pedaço de chão Brasileiro.

Eis o que diria São Francisco a vossa excelência, caso estivesse vivo: onde houver fome, que leve pão, onde houver sede, que leve água! Não deixe que milhões de filhos meus morram por falta d’água. Faça a transposição e será abençoado, porque água é para ser partilhada com quem tem sede.

Atenciosamente,

Padre Djacy Pereira Brasileiro
Administrador paroquial.
Santa Cruz, PB -17-10-07.
Fone: 9911-3141
83-3536-1119

Materia do correio da Paraiba.

Opinião do Cultura Nordestina.

Só é contra a transposição quem nunca passou sede ou fome.

É facil falar de barriga cheia!!

Parabens Padre Djacy!

É de homens como o senhor que o Brasil precisa.



Escrito por Rivaldo às 20h35
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Grupo paulista encena realidade do sertanejo

“Canta Patativa, Canta Sertão!” do MCTA - Movimento Cultural, Teatral e de Artes, de São Caetano, região do ABC paulista, é mais um espetáculo de teatro que se apresenta nesta quinta, no XI Festival de Artes de Areia, às 20h, no auditório do Colégio Santa Rita, com entrada gratuita.
A peça narra à história do sertanejo, do cangaceiro, e outras faces da realidade nua e crua do sertão. O contentamento e o sofrimento, o dia-a-dia, a cantoria, os causos dessa vida, do fundo do poço ao recomeço. Um turbilhão de sentimentos tendo como fio condutor os quatro elementos, a chuva, o sol e os sonhos. As idas e vindas dos nordestinos, migrando em busca do Eldorado. E outros que se arrependem de deixar as raízes e voltam sem conquistas, apenas com o coração apertado de saudade...O espetáculo reflete no público a essência do despertar da vida, as agressões do mundo...O homem que constrói e ao mesmo tempo destrói seus castelos de areia. Uma viagem que encherá os olhos, o coração e a alma... O caminho trilhado pelo cotidiano, o sofrimento, a saudade e a fé. 
Proposta - O diretor Carlinhos Lira diz que a idéia de “Canta Patativa, Canta Sertão!” é resgatar a cultura do sertão e se aventurar nas veredas do Brasil. Vendo um mundo de origem simples, mas cheio de sabedoria, que muitos deixam embebedar daquilo que sai do coração e brota da terra. “A influência do passado que tivemos com os contadores de histórias e estórias. Quem pôde escutá-los carrega consigo um material que poderá será aproveitada em livros. Formando opinião, base cultural, incentivando a leitura e as artes de um modo geral”, completou.
O XI Festival de Artes de Areia tem apoio do Ministério da Cultura, por meio do Programa Monumenta, desenvolvido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Dança de Minas e Paraíba
O Grupo Movasse de Minas Gerais e o Balé Popular da UFPB são as atrações de dança desta quinta-feira no XI Festival de Artes de Areia. A Companhia Mineira fará a partir das 16h00, uma intervenção urbana chamada de “Um passo a mais” - em cima dos terraços, sacadas e marquises dos casariose e praças de Areia. À noite, às 20h30, o grupo paraibano sobe ao palco do Teatro Minerva apresentando todo o universo dos alegres foliões mascarados que circulam pelas ruas das cidades nordestinas durante o carnaval, os papangus. A entrada é gratuita.
No espetáculo “Um passo a mais”, dois bailarinos dialogam com o público e com o espaço ao som da música ao vivo de um acordeon e do ruído urbano. Um dos bailarinos é o paraibano radicado há 14 anos em Belo Horizonte (MG), Carlo Arão. “Essa proposta de encenação em dança tem o objetivo de apresentar uma dança contemporânea como algo de próprio, sem determinismos e fugindo de rótulos pré-estabelecidos. Abre discussões, não fecha caminhos. Desmistificando o corpo e trazendo a dança para o mais perto e possível para as pessoas”, esclareceu Arão.
Já o Balé Popular da UFPB comandado por outro ícone da dança contemporânea paraibana, o coreógrafo Maurício Germano, toma como ponto de partida essa diversidade do personagem ‘papangu’, que está incluído em vários outros folguedos. No elenco Juliana Abath, Luciana Santos, Jocideia Barros, Jarleide Barros, Fabíola Magalhães, Katheryne Menezes, Ing Nunes e Ednaldo Barros. Na trilha sonora músicas de Siba, Cordel do Fogo Encantado e Casa de Farinha. Iluminação com Adilson Lucena; figurino, coreografia e direção geral de Mauricio Germano.
“Esses tipos carnavalescos impulsionam a nossa coreografia, dançarinos invadem a cena, com movimentos desconstruídos, releituras com arranjos entre tambores e alfaias, criando sons, posturas e caretas “, finaliza.

Peça narra histórias de família
A comédia dá o tom da cena teatral do XI Festival de Artes de Areia nesta quinta, com a apresentação do grupo ‘Recreio Dramático’(PB), a partir das 21h,  no palco do secular Teatro Minerva. A peça ‘Família é uma desgraça’  aborda questões de relacionamentos entre país e filhos de forma cômica, explanando a situação de muitos grupos familiares e buscando uma reflexão sobre o conceito de família na contemporaneidade. A entrada é franca.
A história se passa na periferia de uma cidade, onde reside uma família problemática. A diferença dessas pessoas está na forma como elas tentam solucionar seus conflitos. Dona Dora, Hillary Karla, Waldikson Welton, Tita, Finha e seu marido, buscam viver harmoniosamente, mas nem sempre conseguem devido à forma de convivência entre eles.
Na casa acontecem os mais inesperados episódios. Dona Dora, uma simples senhora, busca levar sua vida tranquilamente, porém seus netos a oportuna, fazendo com que a velha viva sempre irritada. Finha, sua filha e mãe de Waldikson Welton e Hillary Karla, tenta educar seus filhos, mas seu temperamento forte causa muitos desentendimentos nesse processo e muita confusão é gerada nessa residência.
O espetáculo que é baseado em episódios reais, acontecidos com amigos e componentes do grupo, foi indicado como melhor dramaturgia, e seu elenco recebeu o prêmio “Revelação em Interpretação” na XIV Mostra Estadual de Teatro e Dança da Fundação Espaço Cultural da Paraíba (FUNESC).
O XI Festival de Artes de Areia tem apoio do Ministério da Cultura, por meio do Programa Monumenta, desenvolvido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).



Escrito por Rivaldo às 22h17
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Vídeo paraibano é selecionado para Festival de Cinema no MT

O documentário 'Coragem Mulher', das jornalistas Mislene Santos e Christine Ferreira, foi selecionado para o IV Festival de Cinema Feminino Tudo Sobre Mulheres, que acontece de 10 a 14 de dezembro, na Chapada do Guimarães-MT. O vídeo foi lançado no último dia 7 de outubro, no Teatro Santa Roza, em João Pessoa.

'Coragem Mulher' participou de uma pré-seleção, que incluiu trabalhos de todo o país,na qual foram selecionados para mostra competitiva apenas cinco documentários. Concorrerão nesta categoria: 'Eu Sou Homem', 'Memórias Clandestinas', 'Emoções em Paquetá', 'Povo Marcado' e 'Coragem Mulher'.

O documentário começa a trilhar os caminhos dos festivais de vídeo do calendário brasileiro. Na última sexta-feira, 'Coragem Mulher' recebeu o prêmio de melhor edição no III Jampa Vídeo Festival, que aconteceu no Sesc-JP.

“É muito gratificante ver um trabalho sendo divulgado e premiado. Estou feliz com o prêmio de melhor edição e também com essa seleção para o 'Tudo Sobre Mulheres'. O documentário passou por uma triagem com produções de todo o Brasil para estar no Festival de Cinema. Para mim está entre os cinco documentários selecionados já é uma grande vitória”, destacou a diretora do documentário Mislene Santos.


Mislene Santos já participou do 'Festival de Cinema Tudo Sobre Mulheres' no ano de 2006 e conquistou o prêmio de Melhor Produção Nordestina, com o documentário 'Uma Flor na Várzea', vídeo sobre a sindicalista Margarida Maria Alves, feito em pareceria com Matheus Andrade.

Violência doméstica - Para Christine Ferreira, casos de violência doméstica, infelizmente, fazem parte do noticiário diário. “Coragem Mulher é mais uma voz, mais um instrumento no combate a este tipo de violência. Esperamos que o retorno deste trabalho venha, tanto na forma de reconhecimento pela sua qualidade, como também pela absorção de sua mensagem. E que seu resultado seja mais mulheres buscando seus direitos”, disse.

'Coragem Mulher' narra, durante 20 minutos, os dramas de mulheres que sofreram durante anos com a violência doméstica, sendo agredidas, torturadas, estupradas e que, por muito pouco, não perderam a vida, mas que levarão para o resto de suas vidas as marcas físicas e psicológicas da violência.

O documentário traz o 'Caso Rosângela', como ficou conhecida a história da funcionária pública Rosângela Silva, que foi presa depois de ter sido torturada pelo seu companheiro, um cabo da Policia Militar, durante cinco horas dentro de um carro.

Weruska Medeiros também está presente no 'Coragem Mulher' e conta como se sente dois anos depois que seu ex-companheiro ateou fogo em seu corpo. Após seis horas de muita violência física, psicologia e sexual uma das entrevistadas narra que foi salva da morte pelo choro do seu filho.

O vídeo ainda conta a história de 'Vó', 78 anos, acusada de ser mandante do assassinato do seu companheiro. Ela está presa, mas jura inocência. Gorete Guedes e Elisângela Guedes, mãe e filha, tiveram um só destino: foram presas por terem assassinado o chefe da família.

O documentário conta, ainda, com os depoimentos de representantes dos principais órgãos que trabalham em defesa das mulheres, a exemplo da ONG Centro da Mulher 8 de Março, do Centro de Referência da Mulher e da Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres (CPPM), órgão da Prefeitura de João Pessoa.

Sinopse - Segundo a organização Mundial da Saúde (OMS), a cada 15 segundos uma mulher é agredida no Brasil. Para dar mais segurança às mulheres, em agosto de 2006 foi criada a Lei Maria da Penha. Após a criação da Lei, aumentaram as denúncias, mas ainda não cessaram as agressões.

Quem passou pela violência doméstica, traz marcas físicas e psicológicas que o tempo não apaga. Como se sentem essas mulheres? Onde estão os autores das agressões? Como são tratadas as mulheres que reagiram aos seus agressores? Estes questionamentos constroem a narrativa de 'Coragem Mulher', que expõe e repercute o drama de quem viveu a violência doméstica.

Informações Técnicas

Direção: Mislene Santos
Produção e Pesquisa: Mislene Santos e Christine Ferreira
Roteiro: Mislene Santos e Christine Ferreira
Edição: Mislene Santos e Christine Ferreira
Finalização: Neto Oliveira e André Canibas
Animação: Neto Oliveira
Câmeras: José de Arimatéia, Flodoaldo Lisboa, Matheus Andrade e Sebáh Possidônio.



Escrito por Rivaldo às 14h46
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




O FILHO DE ACOPIARA

Quem chega a Acopiara, através da rodovia CE-060, passa pelo Arco de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, a padroeira da cidade, abençoando a todos que chegam ali chegam. O arco foi construído para festejar os 70 anos de emancipação de Acopiara, em 1991.

A Igreja Matriz Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é considerada o maior ícone da cidade. Essa igreja em estilo barroco foi construída em 1921, tendo em suas pinturas imagens sacras e na sacristia está a imagem do Senhor Morto que na Semana Santa é levado às ruas numa grande procissão.

Do alto do Monte Mor e do Cruzeiro, tem-se uma vista panorâmica da região por entre a quase intocada vegetação do local. Atualmente esse montes são bastante procurados para a realização do ecoturismo. Outro ponto de lazer no município é a Barragem Tibúrcio Soares, formada pelas águas do Rio Quincoê e seus afluentes. Na época das cheias o local fica cheio de beleza e os moradores aproveitam para se refrescarem em suas águas.

Acopiara, expressão em tupi que significa “aquele que cultiva a terra”, está localizada no estado do Ceará a 345 km de Fortaleza. Possui uma área de 2.265 km² e uma população de pouco mais de 45 mil habitante

                                         

                                                                            

                                                                                    Moreira em entrevista ao Jornal Diario do Grande ABC

                                                        

 

DE ACOPIARA PARA O MUNDO

Moreira de Acopiara, nome artístico com o qual Manoel Moreira Júnior assina seus trabalhos, nasceu em Acopiara-CE, onde viveu até os 20 anos embalado por cantadores repentistas, literatura de cordel e leitura de bons livros. Atualmente mora em Diadema-SP, e sua carreira literária inclui dezenas de Cordéis, um CD com poemas de sua autoria, além de alguns trabalhos seus gravados por vários artistas, como Jackson Antunes e Caju & Castanha.

 

Poeta popular, fascinado pela cultura do povo do sertão e pelo folclore brasileiro.

 
                         

Poetizando                                                Mesa de autógrafos                Com os repentistas,Jonas Bezerra       Recebendo título de Cidadão                Parte de sua obra

                                                                                                                          e Acrízio de França                              São Bernadenses      

           

Moreira é uma grande figura humana.

Homem simples e culto, um exemplo a ser seguido. Um grande poeta!

A  todos que veêm esta pagina, e gostam da cultura nordestina, quando tiverem oportunidade,

conheçam a obra deste homem.

     Veja o que ele diz

No sertão inda vou fazer parada,
Exercendo esse dom que Deus me deu.
Quando um dia disserem: já morreu
O poeta que ama Acopiara,
Por favor, peça aos sertanejos para
Que não deixem ninguém chorar por mim,
Pois a vida de um homem leva fim,
Mas o tempo, que é justo, nunca pára.

contato. macopiara@bol.com.br       

                 

 

 



Escrito por Rivaldo às 11h50
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Ser Criança é...

Ser criança é achar que o mundo é feito de fantasias, sorrisos e brincadeiras.
Ser criança é comer algodão doce e se lambuzar.
Ser criança é acreditar num mundo cor de rosa, cheio de pipocas.
É ser inesquecivelmente feliz com muito pouco.
É se tornar gigante diante de gigantescos pequenos obstáculos.
Ser criança é fazer amigos antes mesmo de saber o nome deles.
É conseguir perdoar muito mais fácil do que brigar.
Ser criança é ter o dia mais feliz da vida, todos os dias.
Ser criança é estar de mãos dadas com a vida na melhor das intenções.
É acreditar no momento presente com tudo o que oferece, é aceitar o novo e desejar o máximo.
Ser criança é chorar sem saber porque.
Ser criança é estar em constante estágio de aprendizado, é querer buscar e descobrir verdades sem a armadura da dúvida.
Ser criança é olhar e não ver o perigo.
Ser criança é ter um riso franco esparramado pelo rosto, mesmo em dia de chuva, é adorar deitar na grama, ver figuras nas nuvens e criar histórias.
Ser criança é colar o nariz na vidraça e espiar o dia lá fora.
É gostar de casquinha de sorvete, de bolo de chocolate, de passar a ponta do dedo no merengue.
Ser criança é acreditar, esperar, confiar.
E é ter coragem de não ter medo.
Ser criança é querer ser feliz.
Ser criança é saber embrulhar desapontamentos e abrir caixinhas de surpresas.
Ser criança é sorrir e fazer sorrir.
Ser criança é ter sempre uma pergunta na ponta da língua e querer muito todas as respostas.
Ser criança é misturar sorvete com televisão, computador com cheiro de flor, passarinho com goma de mascar, lágrimas com sorrisos.
Ser criança é errar e não assumir o erro.
Ser criança é habitar no país da fantasia, viver rodeado de personagens imaginários, gostar de quem olha no olho e fala baixo.
Ser criança é pedir com os olhos.
Ser criança é gostar de sentar na janela e detestar a hora de ir para a cama.
Ser criança é cantar fora do tom e dar risadas se alguém corrige.
Ser criança é ser capaz de perdoar e anestesiar a dor com uma dose de sabedoria genuína e peculiar.
Ser criança é andar confiante por caminhos difíceis e desconhecidos na ânsia de desvendar mistérios.
Ser criança é acreditar que tudo é possível.
Ser criança é gostar da brincadeira, do sonho, do impossível.
Criança é saber nada e poder tudo.
Ser criança é detestar relógios e compromissos.
É ter pouca paciência e muita pressa.
E ser criança é, também, ser o adulto que nunca esqueceu da criança que foi um dia.
O adulto que consegue se reencontrar com a criança que ainda vive no seu íntimo e mais precioso território.
Aquele pedaço que justifica todos os percalços e que dignifica todos os tropeços.
A ingenuidade restaurada no dia-a-dia e que o transforma em herói ao reler as histórias de sua própria vida, narradas pela criança que o abraça, nas entrelinhas de um tempo que permanece imutável porque sagrado.
O tempo do princípio, da origem, da própria essência.



Escrito por Rivaldo às 20h46
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




De bem com a Vida!

O autor e sua obra.

Romero, Meneses

Natural de Imaculada Paraíba. Este caboclo é uma grande figura!

Produtor Cultural e consultor de idéias.

Dedica-se ao estudo das neurociências aplicadas ao desenvolvimento pessoal.

Autor de vários folhetos em literatura de cordel e do livro de poesia, Lácios. Criador e coordenador  do projeto

Palestras Poéticas Motivacionais.

Lançou o seu livro de poesias, Lácios no auditório da camará  dos vereadores em Santo André SP . O  segredo do triunfo teve seu lançamento, na livraria cultura no Recife PE

Autografando.                         Concentrando antes do palco.        Mesa de autógrafos.

 Projeto para realização de palestras motivacionais em comunidades, escolas públicas e em organizações sociais...
A entrada será alimento não perecível...
interessados procurar por Romero Meneses...romero_meneses@hotmail.com

 

  



Escrito por Rivaldo às 22h50
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Rogério Menezes

 
  POETA / REPENTISTA: ROGÉRIO MENEZES
         E Agora VEREADOR!

 

         

 “O homem é um produto do meio, pois se fosse o caso de um repentista nascer no Sul ou em outra região que não seja a nordestina, conseqüentemente ele não seria um repentista, porque o repente é exclusivamente uma cultura do povo nordestino”.

Iniciou aos vinte anos de idade. Morava na zona rural da Paraíba, na cidade de Imaculada. Anteriormente trabalhava na agricultura. Em 1990 passou a morar na cidade de Caruaru, onde se formou em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Caruaru (FAFICA). Chegou a gravar quatro CDs e tem participação em mais de dez coletâneas. No começo foi muito difícil, pois não tinha apoio, por falta de pessoas que acreditassem em seu trabalho que chegaria a dar certo. Contudo, hoje por causa do seu conhecimento como artista já é mais fácil. Tem participações em rádios, televisões, entre outros meios de comunicação. Teve participação em mais de 400 festivais de viola e algumas viagens à França, representando seu trabalho e a cultura caruaruense, onde gravou um de seus CDs. Além de repentista esteve a frente do DETRAN de Caruaru e presidente do partido dos trabalhadores (PT) e vice-presidente da Academia de Cordel de Caruaru.Foi tambem diretor do Ibama onde fez um excelente trabalho.

  • O povo de Caruaru reconheceu o seu trabalho e esforço a frente do Ibama  e do Detran, e o elegeu vereador.

  • Prabens Rogério voce fez por merecer.

  • Calou a boca de quem andou conversando besteira.

     

 

 

 

   
 

Webmaster: Edvaldo Santos
professoredvaldo@ig.com.br



Escrito por Rivaldo às 18h57
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Estam em Três Lagoas MS

 

 

Hoje 05/10/08 dia de eleição.

Somos em 10 mil pessoas ou mais fora do nosso domicilio eleitoral.

Somos trabalhadores que estamos trabalhando na construção da fabrica de celulose.

Gente boa honesta, sofrida e discriminada. A maioria já acompanha a empresa que trabalham,

Há muito tempo vive viajando o país e muitas vezes não é reconhecido. Levando o progresso

a muitos lugares desse imenso Brasil. Muitas vezes sendo confundido com gente má índole, e

até maltratado.   O preço do progresso as  vezes é caro, junto com o progresso vem um tanto

de coisas que não são boas, mas isso não significa que são os trabalhadores.

Precisa acabar com essa idéia  de dizer que tudo que se faz de errado é o povo de fora que

veio com as empresas.  As pessoas que  aqui estão, vieram trabalhar não tem tempo pra

baderna.

 

Três Lagoas MS



Escrito por Rivaldo às 12h22
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Eleição

 

 Em vésperas de eleição  vamos refletir um pouco sobre meio ambiente.         

O meio ambiente, vai muito mais além do que apenas catar lixo.

As pessoas que não estão comprometidas com esta idéia,

Acham que é só isso. É muito mais!

 

 

Poesia.           PRA SALVAR SEUS RECURSSOS NATURAIS

 

Precisamos fazer grande convenio com        Nosso solo está cheio de erosão

Cidades nações e continente                         nossos rios que antes eram limpos

Pra tentar vencer todos poluentes                 na lavagem de ouro dos garimpos

Se quisermos viver  noutro milênio                espalharam veneno pelo chão.

Que se antes faltar oxigênio                          as espécies aquáticas morrerão

Não podemos se quer respirar mais             que na caça dos ricos minerais

Morreremos sem ar vendo os sinais             Tem centenas de multinacionais

Que matamos também  a natureza               Poluindo barragem, rio represa

O planeta suplica sem defesa                       O planeta suplica sem defesa

Pra salvar seus recursos naturais                 pra salvar seus recursos naturais.

 

Quando breve o raio ultravioleta                    As floresta que vestem nossa terra

Não achar a camada de ozônio                     Estão todas de morte ameaçada

Sobre o solo entrará como um demônio       Umas morrem do fogo das queimadas

Matará toda vida do planeta                          Outras tombam na lei da moto serra

Ficará unicamente a terra preta                     e os homens voltados para guerra

E o veneno por todos litorais                        Gastam muitos milhões em arsenais

E sem homens, sem arvores e animais       e não querem gastar com hospitais

Só a cinza o silencio e a tristeza                  com esgoto, com fome e com pobreza

O planeta suplica sem defesa                     O planeta suplica sem defesa 

Pra salvar seus recursos naturais               Pra salvar seus recursos naturais.

 

 



Escrito por Rivaldo às 19h14
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Moacir Lauretino & Ivanildo Vila Nova



Escrito por Rivaldo às 16h09
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




ISSO TAMBEM PASSA

 

Conta-se que, em um reino distante, um súdito estava preocupado em dar um presente ao rei por conta de seu aniversário e, não sabendo o que dar, resolveu procurar um sábio e pedir-lhe um conselho. Explicou ao sábio o que precisava e o sábio escutou com muita atenção. Pediu-lhe um dia para pensar. No dia seguinte o súdito foi conversar e o sábio sugeriu-lhe que desse um anel de presente. O súdito argumentou: "mas, o rei já tem tudo. E vou dar-lhe um anel?" O sábio disse-lhe que este anel era diferente, pois nele estava escrito: "Isto também passa". Quando o rei vier da guerra todo orgulhoso por ter vencido a guerra, peça para ele olhar o anel; mas, também, quando em outra ocasião ele voltar de lutas, for derrotado, perdendo soldados e sentindo-se fracassado, peça a ele também olhar o anel.

Que lição de vida pode-se tirar desta estória? Para muitas pessoas, a época de final de ano é tempo de balanço de vida, de analisar o que valeu a pena, quais foram os ganhos e perdas. Como foi o ano que passou para você? Você planejou, fez metas, lutou - qual foi o resultado? A maioria de nós não sabe lidar com vitórias e derrotas, pois nas duas parece que o tempo será eterno. Quando lutamos muito por algo e vencemos é comum ficarmos orgulhosos e até alardearmos de modo inadequado a vitória, quase sempre compartilhando como mérito nosso. Por outro lado, quando diante da derrota, como é fácil culparmos os outros o fato de não termos alcançado a vitória.

A vida é cheia de surpresas quando a gente se abre todo o dia para dar e receber o melhor. É importante neste início de ano fazermos um balanço de nossa vida e agradecermos a Deus o privilégio de vivermos. Jesus é o maior presente de Deus, e nele é que podemos ter a certeza que "isto também passa". Se você teve um ano difícil, Jesus tem uma palavra de ânimo para você: "Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso". Se você teve vitórias este ano, a Bíblia o encoraja a ser mais que vencedor: "Mas em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. Pois estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem presente nem futuro, nem quaisquer poderes, nem altura, nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor". Que no nosso balanço de vida possamos contar com Jesus para lidar com alegrias e tristezas, vitórias e derrotas; sendo mais que vencedores e aprendendo que "isto também passa". Mas o amor de Deus por nós em Jesus é eterno e vitorioso

Um Feliz Ano Novo a Todos. Especialmente a minha  mãe e meus irmãos e todos que estamos reunidos.



Escrito por Rivaldo às 18h55
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Mensagem de Natal

Eu percebo uma grande euforia

Na chegada de outro mês natalino,

Todos querem comprar ganhar presentes,

Jovens velhos mulheres e menino,

Mas ninguém se lembra de dizer,

Obrigado meu Deus meu pai Divino.

 

Não lembramos que a festa é do menino

Que na pobre manjedoura nasceu,

Que tentando salvar a humanidade,

Foi traído humilhado e faleceu.

Mas na hora da ceia ninguém lembra,

Que é a data do aniversario seu.

 

É que o mundo ainda não entendeu

A mensagem que nessa data vem,

O Natal é a festa da partilha

Pra se amar perdoar e querer bem,

Mas alguns que têm muito não conseguem,

Repartir com os outros que não tem.

 

Ame a Deus, e ao seu próximo queira bem,

E se envolva no clima fraternal.

Pra que o espírito da paz esteja sempre,

Entre os homens a nível mundial.

Pra que o mundo inteiro encontre a Paz,

Nesta noite tão linda de NATAL.

 

Autor: Rosivaldo Meneses Sobrinho.

 

 

 

 



Escrito por Rivaldo às 09h14
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Natal

O presépio O presépio

É a representação que nos lembra o ambiente em que Jesus nasceu. É o mais significativo dos símbolos do Natal para a Igreja e para os cristãos.

O primeiro presépio de que se tem notícia foi montado por São Francisco de Assis, na cidade de Greccio, Itália, no ano de 1223. A cena, representada por um boi e um burrinho, foi preparada numa manjedoura cheia de feno de uma estrebaria comum, simples, do lugar. Francisco, com muito carinho, chamou os habitantes das proximidades para que, na noite de Natal, estivessem presentes naquele local que tão bem relembrava o episódio daquela outra noite bela e inesquecível, a do nascimento do Menino-Deus.

Depois, os jesuítas, com seu trabalho de catequização dos povos, passaram a divulgar e incorporar o presépio de modo definitivo à Igreja e aos hábitos católicos de todo o mundo.

A cena do presépio, em sua singeleza e simplicidade, faz com que nos lembremos dos ensinamentos e da doutrina de Jesus, cujos principais elementos são: a Fé, a Esperança, a Humildade, a Igualdade, a Fraternidade, e, acima de tudo, o Amor.



Escrito por Rivaldo às 16h57
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




ARIANO SUASUNA...



ARIANO SUASSUNA

 

Embora suas primeiras publicações sejam poemas, é através

do teatro  que começa a acumular prêmios e a se afirmar 

definitivamente como escritor.

 

Em 1979, com  A PEDRA DO REINO, o escritor faz sua estréia

no romance, salientando a vinculação desta narrativa épica e satirica,

fantástica e poética com o Movimento Armorial, fundado em recife

no mesmo ano.

Embora diversificando sua produção, quanto ao gênero, o escritor

Mantém uma marca de originnalidade que empresta a sua obra uma

indiscutivel unidade : a recorrência à grande liçao do Romanceiro

popular nordestino – segundo ele fundamental para  o entendimento

de tudo  quanto escreveu..

Sem cair na idolatraia do “popular”, é através dos cantadores e folhetos

de feira que o autor retorna à tradição ibérica e mediterrânea, encontrando

nesta confluência o material bruto para a reacriação que se prõe a exprimir

a universalidade de um povo dilacerado entre tempos históricos (reais)

distantes e diversos.

Mas essa preferência pelas fontes populares não faz  da arte de Ariano

Suassuna uma  expressão regionalista, no sentido convencional do termo.

Sua maneira de perceber oi mundo recusa o neo-naturalismo dominnate

Nessa tend~encia estética, em busca de uma dimensão mágica, uma

dimensão mítico-poética em que se exprime o seu mundo – o sertão

 tranfigurado. (*...texto de Angela Bezerra de Castro).





Escrito por Rivaldo às 17h53
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Catulo da Paixão

A FLOR DO MARACUJÁ

Encontrando-me com um sertanejo 
Perto de um pé de maracujá
Eu lhe perguntei: 
Diga-me caro sertanejo 
Porque razão nasce roxa 
A flor do maracujá?

Ah, pois então eu lhi conto 
A estória que ouvi contá
A razão pro que nasci roxa 
A flor do maracujá

Maracujá já foi branco 
Eu posso inté lhe ajurá
Mais branco qui caridadi 
Mais brando do que o luá

Quando a flor brotava nele 
Lá pros cunfim do sertão
Maracujá parecia 
Um ninho de argodão

Mais um dia, há muito tempo 
Num meis que inté num mi alembro 
Si foi maio, si foi junho 
Si foi janero ou dezembro 

Nosso sinhô Jesus Cristo 
Foi condenado a morrer
Numa cruis crucificado 
Longe daqui como o quê

Pregaro cristo a martelo 
E ao vê tamanha crueza 
A natureza inteirinha 
Pois-se a chorá di tristeza 

Chorava us campu 
As foia, as ribera 
Sabiá também chorava 
Nos gaio a laranjera 

E havia junto da cruis 
Um pé de maracujá
Carregadinho de flor
Aos pé de nosso sinhô

I o sangue de Jesus Cristo 
Sangui pisado de dô
Nus pé du maracujá 
Tingia todas as flor

Eis aqui seu moço
A estoria que eu vi contá
A razão proque nasce roxa 
A flor do maracujá.



Escrito por Rivaldo às 12h24
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




MOREIRA DE ACOPIARA

           Eu nasci no Ceará
No ano sessenta e um
Na pequena Acopiara
De modo muito comum
E hoje moro em Diadema
Sem sacrifício nenhum.

Manoel Moreira Júnior
É o meu nome completo.
Meu pai era um fazendeiro
Inteligente e discreto;
Não sou mestre nem doutor,
Mas não sou analfabe

Escrito por Rivaldo às 19h30
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Flávia Wenceslau


Flávia Wenceslau é paraibana, nascida na cidade de Nova Floresta. Em 2003 teve seu primeiro trabalho registrado em estúdio, onde reuniu no CD Frutos da Terra, 12 canções do rico repertório brasileiro, autor que já tem composições conhecidas na voz de Dominguinhos, Renato Teixeira, Chico César, entre outros grandes nomes. Neste ano de 2005 a cantora está lançando seu novo trabalho de forma ainda independente, o que é só o tempo de uma grande gravadora descobri-la, claro. Vem dando passos ainda maiores com canções de sua autoria, mostrando a que veio, e que ainda nos resta a esperança do resgate daquilo que está esquecido nos corações da maioria.


Escrito por Rivaldo às 15h49
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




PAIS

FELIZ DIA DOS PAIS.QUE DEUS ABENÇOE A TODOS.

Escrito por Rivaldo às 18h36
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Missa do Vaquueiro

 

A Missa do Vaqueiro é um evento religioso, tradicional na cultura popular do sertão pernambucano.

Esta celebração teve origem a partir do desaparecimento do vaqueiro Raimundo Jacó, um vaqueiro de muita coragem do Sertão nordestino, que foi assassinado traiçoeiramente nas caatingas do Sítio das Lages, distrito do município de Serrita, localizado no alto sertão do Araripe, localizado a 553 quilômetros do Recife.

A primeira missa em sua memória foi idealizada pelo Rei do Baião, Luiz Gonzaga cantor e compositor pernambucano, e rezada pelo padre João Câncio dos Santos em 1971. Celebrada sempre no terceiro domingo do mês de julho, ao ar livre, num local onde foi construído um altar de pedra rústica em forma de ferradura. É neste dia que se reúnem vaqueiros de vários estados do Norte e Nordeste e se confraternizam diante da fé cristã.

A ideologia cristã da missa é um ato de fé do homem sertanejo, que apesar de ser um povo sofrido, não perde jamais a esperança de dias melhores.

Eles sobem até o altar e fazem suas oferendas com peças de sua indumentária de couro, arreios, e instrumentos usados no pastoreio do gado. Durante o ofertório eles improvisam versos de aboio sobre cada peça ofertada.

Os vaqueiros são homens sertanejos, boiadeiros de perdidas caatingas. Chegam montados nos seus cavalos, vestidos de gibão, botas, coletes e chapéu de couro enfeitado, trazendo no semblante a bravura do homem sertanejo.

Esta é uma homenagem feita não apenas ao grande vaqueiro Raimundo Jacó, mas a todos vaqueiros nordestinos corajosos que desafiam a imensidão, a seca, a fome e o perigo do grande Sertão nordestino.

Na semana que antecede a celebração da missa, o município de Serrita vive um clima de festa folclórica, com vaquejada, banda de pífanos, zabumbeiros, sanfoneiros tocando forró pé-de-serra, baião, xote , xaxado, ciranda, coco, cantorias, repentistas, aboiadores, além da feirinha típica, onde são expostos objetos artesanais e decorativos, comidas tradicionais à base de milho e mandioca, rapadura, caldo de cana , beijus, entre outras.

O objetivo principal da Missa do Vaqueiro é mostrar, através da figura do vaqueiro Raimundo Jacó, a bravura, a dedicação e a fé do homem sertanejo, valorizando a cultura popular e o rico artesanato nordestino.



Escrito por Rivaldo às 18h08
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
Outros sites
  UOL - O melhor conteúdo
  BOL - E-mail grátis
  UDV
  Os Pilares dos Reis
  Dê uma espiadinha!!! link-me
  Palavra de anjo
  Uol Blog
  O MUNDO QUE ENCONTREI
  Jornal do Blogueiro
  VIDA PLENA
  Gotinhas de Luz
  Luz de Luma
  NANCI
  Ruiva e Perigosa
  Conexão Cordel
  Arrecifes de Cordeis
  Thalua
  Revista Espiritismo
  Alto Falante
  Compadre Cordel
  Remedio da Natureza
  Cultura Nordestina
  Tire todas as suas dúvidas sobre blogs.
  Início do Código-->
  O Caminho da Prosperidade
  Recanto das Letras
  CFA
Votação
  Dê uma nota para meu blog